Please reload

Outros escritos

Em si (“E quando o sol se põe”)

E quando o sol se põe em si,
O poeta escreve ao relento
Rimas pobres em sentimento,
Ricas de si.

O poeta inicia seu rebento
Quando o verso se põe em si,
E rima, com dó, o sol em si.
Continua seu lamento

Quando escreve em seu soneto,
Que, mesmo sem vontade
Fecha seu terceto,

O poeta exprime a verdade.
Em um simples folheto,
Rima com ingenuidade.

E quando o poeta se põe em si,
Enxerga seu próprio argumento:
A pobre rima em si
Enriquece seu sustento.

Please reload